Férias I: Como sobreviver ao sol com crianças na praia

 

 

Recentemente fui à praia com os meus meninos e foi uma deeeeelícia!!! Ao chegar na praia, meus babies se deslumbraram com aquele mar azul infinito e com aquele tantão de areia pra montar todos castelos do Batman e de outros super-heróis que viessem à cabeça. E vendo as gargalhadas dos meninos diante daquela aventura incrível, como fazer então pra que eles se desfrutassem ao máximo sem que a mamãezinha dermato neurótica que vos fala não surtasse com aquele sol escaldante sobre a cútis perfeita dos moleques?! Vocês devem imaginar que eu levei uma munição pesadíssima de filtro,não? Bem, sim, levei ahahaha… E acrescentei outros aparados valiosos que facilitaram a minha vida – e a deles também. Sou da filosofia da praticidade, do simples. E fui ter certeza disso desde que me tornei mãe. Pois qual criança que gosta de passar filtro solar o tempo todo? As minhas não… Por isso, confira aí essas dicas práticas que foram testadas (e aprovadas) durante minhas férias de verão:

♥ Como passar o filtro solar? Atenção, essa primeira dica é tuuuudo pra não ter neném queimado na praia: passe, quer dizer, lambuze a criança pelada (sem fralda) de filtro solar no mínimo meia hora antes de sair para a praia. Depois vá tranquilamente tomar o café da manhã junto das crianças e prontinho: filtro solar totalmente absorvido e seco na pele. Isso parece óbvio, mas não é! Fico em pânico de ver alguns pais chegando na praia, ainda por abrir o guarda-sol e ao mesmo tempo passando filtro na criança (rapidamente) porque o rebento não fica quieto nem por decreto vendo aquele marzão na frente dele. Certamente o filtro solar foi mal passado, como nas áreas de dobra tipo perto da sunga ou do biquíni e, consequente, poderá haver queimaduras solares nesses locais mais difíceis.

 Ok… Mas, qual filtro? Sempre #recomendo aqueles hipoalergênicos, infantis e no mínimo com FPS 50. Agora, euzinha leve 2 tipos diferentes – peraí! Não é neurose não, deixa eu te explicar… Pra passa antes de sair de casa, opto por um filtro leitoso, grudento mesmo – o escolhido da vez foi o Episol Infantil FPS 50 (mas já usei o Anthelios Pediatrics FPS60 e Eucerin Kids FPS60– grudentos iguais). Isso porque, quando o filtro é bem passado, ele tem uma fixação melhor à pele, o que facilita na hora de reaplicar o outro filtro. Na hora de reaplicar ( digo, 2 horas depois), o momento é tenso, pois: as crianças estão eufóricas e meladas com água do mar e de areia. Daí, enquanto elas se deliciam com um picolé ou água de coco (e daí consigo mantê-las quietas #truquematerno rsrsrsrs), reaplico o filtro em spray – meu escolhido é o da Avene FPS 50 Infantil Spray, porque sendo uma loção mais leve consigo espalhá-lo melhor. Fácil, fácil!

♥ Pulo do gato! Mesmo tomando todos esses cuidados, visto os meninos com uma camiseta feita de um tecido que tem filtro solar. Não estou falando de camiseta de malha simples não. E sim de um tecido que não permite a passagem da radiação solar, mesmo depois de molhado. Confesso que o meu lado mãe ficou mesmo desconfiado… Será?? Mas, não é que funcionou mesmo? Houve uma diferença significativa na área coberta pelo tecido (tronco e braços) das pernas por exemplo. Então mesmo que eu não conseguisse reaplicar direito o filtro, eu sabia que eles estavam protegidos! Eles usaram esses modelinhos aí da linha UV Line. Esse tecido confere proteção equivalente à FPS 50. Adoooro!

♥ Acessórios, sempre! No caso dos meus meninos, faço eles ficarem de chapéu ou boné. Mas óculos escuros são fundamentais também.

♥ Atenção! Respeitar o horário da exposição solar: até às 10 hrs e depois das 16 hrs. Gente, se você vai com crianças à praia, a prioridade são elas! E não o seu sono #sorry… Não vale sacrificar a criança e deixá-las torrando ao sol, mesmo que bem protegidas, certo?

♥ Be happy! As férias são legais, quando todo mundo tá junto, bagunça junto, tá rindo junto, pulando onda junto, fazendo castelinho na praia junto e sendo feliz!

Bjs!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.