young woman taking off peeling mask

Na verdade, eu já começo este post me corrigindo hahaha! Porque costumo aplicar peelings químicos nos meus pacientes em qualquer estação. Para isso é preciso a pele estar bem cuidada sem qualquer tipo de lesão (quer dizer, feridinhas, perebas e afins) e, obviamente, o peeling ser bem indicado. É claro que esta época do ano o clima está mais favorável (confesso que é mais desconfortável ficar com a pele descascando no verão) e nos expomos menos ao sol durante a temporada outono-inverno.

Para quem não sabe, peeling significa descamação. Essa descamação pode ocorrer de 3 maneiras: superficial, média e profunda da pele. Isso é programado de acordo com objetivo do tratamento traçado; por exemplo: se desejo tratar manchas (como o melasma), aplico peelings que vão atuar apenas na epiderme (região mais superficial da pele). Mas se o foco for aquelas ruguinhas indesejáveis posso optar por peelings médios ou profundos com o objetivo de eliminar as células mortas, renovar as camadas superficiais da pele e estimular a síntese do colágeno (a tão falada substância que dá sustentação na pele). Nesse caso há formação de crostas na pele e, geralmente, é necessário ficar alguns dias de molho em casa para pele reepitelizar (quer dizer, nascer novinha em folha – com melhora de manchas, rugas e com viço).

Como preparar a pele para o peeling? Primeira coisa: marque com o seu médico dermatologista uma consulta para avaliar seu tipo de pele e qual é o melhor peeling para você. Hoje existem diferentes ácidos e diferentes técnicas de aplicação – só o médico vai saber definir o mais apropriado. Geralmente, é indicado um ácido para ser aplicado no local a ser tratado por pelo menos 15 dias antes do primeiro peeling. Esse tempo também é importante para você se habituar a usar o filtro solar mais de uma vez ao dia – siiim! você vai precisar muito dele no pós. Além disso, mesmo em casos onde se aplica um peeling superficial, recomenda-se que seja numa semana sem grandes compromissos, quer dizer, sem festas, casamentos, reuniões importantes e viagens – você vai precisar estar tranquila para se cuidar. Geralmente, recomendo o peeling numa 4ª feira ou 5ª feira – isso porque a descamação se inicia cerca de 2 dia depois da aplicação, então no início da outra semana a pele está praticamente recuperada.

Quais são as indicações para peelings? As principais indicações são: melasma, espinhas (no rosto e nas costas), estrias, envelhecimento da pele/rugas, sardas, melanoses solares (que são aquelas manchinhas que aparecem nas mãos e antebraços depois de uma certa idade…), olheiras, cicatrizes de acne, enfim, inúmeras indicações. Também lembro que há certos peelings que podem ser aplicados na pele morena e negra com toda segurança e ótimos resultados.

peeling ac retinoico

Quais são os benefícios desse tratamento? A pele adquire um tom mais uniforme, com mais viço, clareia-se as manchas, diminui cravinhos e melhora aquelas espinhas inflamadas, melhora a aparência das estrias e olheiras e diminui rugas finas. No caso dos peelings superficais a aplicação é rápida e praticamente indolor e você não precisa se afastar de suas atividades do dia a dia.

Quantas vezes é preciso fazer peeling para atingir o resultado esperado? Tenha em mente que apesar de ser visível uma melhora na qualidade da pele após a 1ª sessão, o resultado é melhor ainda quando são realizados em série, ou seja, em torno de 4 a 5 com intervalos de 30 dias. Cada vez que o peeling é aplicado a pele torna-se mais uniforme e apta a receber as medicações em creme de uma maneira mais homogênea. Ou seja, aquele composto que no início do tratamento não estava resolvendo tanto, agora, depois da pele mais certinha, a ação dele é potencializada.

Quais são os riscos de um peeling? Mesmo os peelings superficiais podem ter complicações se não for bem indicado e feito corretamente. Por isso, é fundamental que seja aplicado por um médico dermatologista que é o profissional que sabe ( = estudou, pesquisou, se formou pra isso) o que fazer se caso uma complicação ocorrer. As principais complicações a saber são: manchas escuras (hipercromia) ou claras (hipocromia), cicatrizes, reações alérgicas, vermelhidão intenso e persistente e reativação de herpes.

Quem não pode fazer peelings? Grávidas, mulheres que estão amamentando, peles bronzeadas, pacientes em uso de Roacutan®, presença de infecção ativa do herpes simples ou quando a pele não estiver bem preparada para tal.

Quais são os cuidados no pós-peeling? Isso vai depender principalmente do local aplicado e da profundidade que o ácido atingiu. As principais recomendações são: usar filtro solar 3 a 4 vezes ao dia (mesmo que não se exponha diretamente ao sol), lavar a pele delicadamente com uma loção de limpeza de preferência com águia fria, enxugar sem esfregar, e nada de cutucar/puxar/friccionar a pele (sabe aquela tentação de puxar uma pelinha ou ficar procurando uma casquinha – NO WAY!!!).

Adoro fazer esse procedimento, porque continua sendo uma ótima opção de tratamento para diversos problemas de pele e com resultados muito bons.

Em caso de dúvida, procure sempre seu médico.

Bjs!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.