Dra Sílvia Cristina de Castro Oliveira – Dermatologia e Estética

..28.06.2017.. 11

young woman taking off peeling mask

Na verdade, eu já começo este post me corrigindo hahaha! Porque costumo aplicar peelings químicos nos meus pacientes em qualquer estação. Para isso é preciso a pele estar bem cuidada sem qualquer tipo de lesão (quer dizer, feridinhas, perebas e afins) e, obviamente, o peeling ser bem indicado. É claro que esta época do ano o clima está mais favorável (confesso que é mais desconfortável ficar com a pele descascando no verão) e nos expomos menos ao sol durante a temporada outono-inverno.

Para quem não sabe, peeling significa descamação. Essa descamação pode ocorrer de 3 maneiras: superficial, média e profunda da pele. Isso é programado de acordo com objetivo do tratamento traçado; por exemplo: se desejo tratar manchas (como o melasma), aplico peelings que vão atuar apenas na epiderme (região mais superficial da pele). Mas se o foco for aquelas ruguinhas indesejáveis posso optar por peelings médios ou profundos com o objetivo de eliminar as células mortas, renovar as camadas superficiais da pele e estimular a síntese do colágeno (a tão falada substância que dá sustentação na pele). Nesse caso há formação de crostas na pele e, geralmente, é necessário ficar alguns dias de molho em casa para pele reepitelizar (quer dizer, nascer novinha em folha – com melhora de manchas, rugas e com viço).

Como preparar a pele para o peeling? Primeira coisa: marque com o seu médico dermatologista uma consulta para avaliar seu tipo de pele e qual é o melhor peeling para você. Hoje existem diferentes ácidos e diferentes técnicas de aplicação – só o médico vai saber definir o mais apropriado. Geralmente, é indicado um ácido para ser aplicado no local a ser tratado por pelo menos 15 dias antes do primeiro peeling. Esse tempo também é importante para você se habituar a usar o filtro solar mais de uma vez ao dia – siiim! você vai precisar muito dele no pós. Além disso, mesmo em casos onde se aplica um peeling superficial, recomenda-se que seja numa semana sem grandes compromissos, quer dizer, sem festas, casamentos, reuniões importantes e viagens – você vai precisar estar tranquila para se cuidar. Geralmente, recomendo o peeling numa 4ª feira ou 5ª feira – isso porque a descamação se inicia cerca de 2 dia depois da aplicação, então no início da outra semana a pele está praticamente recuperada.

Quais são as indicações para peelings? As principais indicações são: melasma, espinhas (no rosto e nas costas), estrias, envelhecimento da pele/rugas, sardas, melanoses solares (que são aquelas manchinhas que aparecem nas mãos e antebraços depois de uma certa idade…), olheiras, cicatrizes de acne, enfim, inúmeras indicações. Também lembro que há certos peelings que podem ser aplicados na pele morena e negra com toda segurança e ótimos resultados.

peeling ac retinoico

Quais são os benefícios desse tratamento? A pele adquire um tom mais uniforme, com mais viço, clareia-se as manchas, diminui cravinhos e melhora aquelas espinhas inflamadas, melhora a aparência das estrias e olheiras e diminui rugas finas. No caso dos peelings superficais a aplicação é rápida e praticamente indolor e você não precisa se afastar de suas atividades do dia a dia.

Quantas vezes é preciso fazer peeling para atingir o resultado esperado? Tenha em mente que apesar de ser visível uma melhora na qualidade da pele após a 1ª sessão, o resultado é melhor ainda quando são realizados em série, ou seja, em torno de 4 a 5 com intervalos de 30 dias. Cada vez que o peeling é aplicado a pele torna-se mais uniforme e apta a receber as medicações em creme de uma maneira mais homogênea. Ou seja, aquele composto que no início do tratamento não estava resolvendo tanto, agora, depois da pele mais certinha, a ação dele é potencializada.

Quais são os riscos de um peeling? Mesmo os peelings superficiais podem ter complicações se não for bem indicado e feito corretamente. Por isso, é fundamental que seja aplicado por um médico dermatologista que é o profissional que sabe ( = estudou, pesquisou, se formou pra isso) o que fazer se caso uma complicação ocorrer. As principais complicações a saber são: manchas escuras (hipercromia) ou claras (hipocromia), cicatrizes, reações alérgicas, vermelhidão intenso e persistente e reativação de herpes.

Quem não pode fazer peelings? Grávidas, mulheres que estão amamentando, peles bronzeadas, pacientes em uso de Roacutan®, presença de infecção ativa do herpes simples ou quando a pele não estiver bem preparada para tal.

Quais são os cuidados no pós-peeling? Isso vai depender principalmente do local aplicado e da profundidade que o ácido atingiu. As principais recomendações são: usar filtro solar 3 a 4 vezes ao dia (mesmo que não se exponha diretamente ao sol), lavar a pele delicadamente com uma loção de limpeza de preferência com águia fria, enxugar sem esfregar, e nada de cutucar/puxar/friccionar a pele (sabe aquela tentação de puxar uma pelinha ou ficar procurando uma casquinha – NO WAY!!!).

Adoro fazer esse procedimento, porque continua sendo uma ótima opção de tratamento para diversos problemas de pele e com resultados muito bons.

Em caso de dúvida, procure sempre seu médico.

Bjs!

 

Essa é uma dúvida muito frequente que recebo em meu consultório: “Doutora, se minha pele é negra, preciso usar filtro solar? Mas, qual usar, pois quando eu passo minha pele fica branca e deixa um aspecto horrível!” Olha só, recomenda-se o uso de filtro para qualquer (atenção! QUALQUER) tipo de pele – seja ela branca, negra, asiática, mista, seca, oleosa, pele madura, pele jovem, enfim, sem desculpas. A única exceção são bebês menores de 6 meses de idade.

É fundamental que pessoas da pele negra usem o filtro, pois esse tipo de pele tem uma maior predisposição ao aparecimento de manchas escuras no rosto do que a pele clara. Digo, manchas que aparecem na pele por picadas de inseto, depois de cutucar espinhas, por pêlo encravado, por machucado, enfim, e o sol sobre essa área machucada vai favorecer cada vez mais o escurecimento local.  Daí a importância do filtro solar. E não adianta chorar depois, porque o escurecimento se dá pela grande quantidade de melanina derramada para a derme que acaba se acumulando e só o tempo para resolver esse problema na maioria das vezes.

Ok, mas você não quer ficar com cara toda esbranquiçada de filtro, não é mesmo? Principalmente os homens, porque senão, não usa o filtro solar de jeito maneira! Para esses casos eu geralmente recomendo o Minesol Antioxidante Sérum FPS 30 da Roc. Ele é tipo um soro, um líquido transparente, não é cremoso e, portanto, não deixa o rosto branco. É oil-free, portanto bom também para  peles mistas a oleosas. E o melhor de tudo é que o produto segue a tendência atual dos cuidados diários com a pele: a presença de antioxidantes na formulação, que agem contra o surgimento de radicais livres que atuam no envelhecimento da pele – tudo de bom!

minesol-antioxidant-serum-fps-30

Bjs!

Perfil

Dra Silvia Cristina

foto_perfil_pahina_draSilvia

Sou paulistana de nascimento, mas mineira por adoção e coração. Em BH, eu estudei, me formei, me apaixonei, casei e me tornei mãe de dois (lindooos!) príncipes. Assim como muitas mulheres, eu me desdobro para trabalhar, cuidar das crias (do cachorro também, oras!), cozinhar (mentirinha! quer dizer, só faço bolos ahaha!), malhar, namorar, e, agora, blogar!

Sou médica Dermatologista com muito orgulho. Tenho Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, da qual sou membro titular. Pós- graduada em Laser e Cirurgia pela Cleveland Clinic Foudation – OHIO EUA. Membro da Academia Americana de Dermatologia.

faça sua busca aqui

banner_keepCalm

arquivos

curta e
compartilhe

img_cosmeticos
img_dicasBeaute2
logo_sociedadeMineiradeDermatologia logo_sociedadeBrasileiraDeDermatologia

Entre em contato!

(31) 3241-4556 ou 2512-0956
Rua Padre Marinho, 49 salas 805 e 806
Santa Efigênia . Bh . MG / CEP: 30140-040
contato@drasilviacristina.com.br

política do blog

A informação médica via internet pode complementar, mas nunca substituir a relação pessoal entre o médico e o paciente. A internet pode ser uma ferramenta útil, veiculando informações e orientações de saúde genéricas, de caráter educativo, abordando a prevenção de doenças, promoção de hábitos saudáveis de vida, bem-estar, cuidados pessoais, nutrição, higiene, qualidade de vida, […]

Continue lendo