Dra Sílvia Cristina de Castro Oliveira – Dermatologia e Estética

Quase todos os bebezinhos adoram tomar banho. O contato com a água relaxa e “lembra” a vida intra-uterina. Mas para muitos papais e mamães pode ser um momento tenso, com medo da criança escorregar pelas mãos, chorar, etc…Vale a pena lembrar que o banho pode ser dado desde o nascimento. Para muitos pode parecer óbvio, mas muita gente ainda acredita na crença popular de que é necessário esperar o coto umbilical cair para se dar o banho. E, olhe, para que tudo dê certo, é preciso tomar 2 atitudes essenciais para transmitir segurança ao baby: organização e rotina! OS bebês se sentem seguros quando eles sabem o que vai ser feito com eles, por exemplo sempre converse com seu filhote antes de dar banho e procure fazê-lo no mesmo horário. E não dá para começar a dar o banho se você não deixou a roupinha, a toalha, banheira preparada, enfim, por isso vamos ao check list do banho:

termometro-banheira-bebe
1. uma banheirinha, de preferência com ralo ou mangueirinha para soltar a água com mais facilidade;
2. trocador;
3. 2 toalhas de banho macia – você já vai saber porquê;
4. toalha-fralda;
5. sabonete neutro ou de glicerina – nada daqueles perfumadinhos, sabe?
6. fralda;
7. roupas limpas;
8. pomada antiassaduras;
9. creme hidratante próprio para recém-nascidos;
10. escova macia para pentear os cabelos.

 

Agora vamos ao que interessa: o banho!

banhonobebe1• Verifique se a banheira está limpa;
• A água na banheira deve estar morna ou com aproximadamente 37º C , você pode testar a temperatura da água com um termômetro próprio ou mergulhando seu cotovelo na água. A água não precisa ser fervida e muito menos mineral;
• Deixe próximo tudo que você precisar. Mesmo com um dia de vida, NUNCA deixe seu bebê sozinho no trocador!
• Tire a roupinha do bebê no trocador. Faça a higiene necessária e jamais coloque seu filho cheio de cocô direto na água do banho. Enrole-o com a toalha e coloque dentro da banheira – sim com a toalha! Isso vai simular que ele está em contato com a placenta (muito doido isso, eu sei!). O bebê não chora e não se assusta com a água. Porque o peso da toalha sobre o corpo do bebê o faz sentir seguro e evita que ele manifeste o reflexo de Moro (aquele reflexo do susto involuntário que os bebês apresentam assim que nascem).
• Lave o rostinho primeiro, sem jogar água, apenas com a mão umedecida passe ao redor dos olhos, contorno do nariz e boca;
• Depois lave o restante do corpinho e deixe por último a cabecinha para não esfriá-lo;
• Três a quatro minutos são suficientes;
• Descubra-o da toalha da banheira, retire o bebê e enrole-o na outra toalha sequinha;
• Enxugue-o rapidamente – não se esqueça das dobrinhas! Passe um hidratante próprio;
• Vista-o e pronto! Bebê limpinho e fofo!

Esse momento é muito especial e prazeroso, curta cada momento com seu filhotinho. Vale a pena também colocar uma música suave durante o banho, eles amam!

Bjs!

foto DA

Atenção mamães e papais, leve seu filho ao dermatologista se ele começar a apresentar feridas no corpo e que coçam muito. Pode ser ele que seja portador de uma doença crônica chamada de Dermatite Atópica (DA) ou Eczema Atópico. A DA é muito comum, principalmente nessa época do ano: outono-inverno. A causa exata ainda é desconhecida, mas sabe-se que não é uma doença contagiosa, e sim uma doença de origem hereditária. Pode atingir crianças já no primeiro ano de vida e, a partir daí, o quadro pode se tornar crônico, com períodos de piora e melhora até a adolescência.

O diagnóstico é feito apenas através do exame médico, não há exame laboratorial que detecte ou confirme o diagnóstico de Dermatite Atópica; portanto, mesmo que você entenda o que eu escrevo aqui e leia no “(Dr) Google” tudo sobre DA, somente o médico saberá diagnosticar e tratar corretamente as lesões de pele, ok? As lesões de pele são pequenas feridas avermelhadas e com crostas que coçam muito, principalmente nas dobras do pescoço, do cotovelo e atrás dos joelhos, face e pálpebras. Na grande maioria das vezes essas feridas surgem em crianças de peles secas e durante uma mudança brusca de temperatura, mas existem também outros fatores desencadeantes: poeira, detergentes e produtos de limpeza em geral, roupas de lã e tecidos sintéticos, baixa umidade, transpiração, infecções e estresse emocional.

E como tratar? Na grande maioria dos casos, a DA pode ser controlada através de medidas de identificação e controle dos fatores desencadeantes. Também através de medicação adequada. Mas a chave para manter a doença sob controle é o cuidado diário da pele e isso é uma tarefa árdua, pois todos aqueles que cuidam da criança (digo, pai, mãe, babá, avó/avô, funcionários da escola, etc, etc) deverão participar e cuidar da pele da criança todo santo dia, sem folga. Medidas simples como banhos rápidos, mornos, com sabonetes neutros (branco ou de glicerina), não fazerem uso de bucha ou esponja durante o banho e passar o hidratante recomendado já faz muuuita diferença e é fundamental para melhora e controle do quadro. E, na dúvida, leve seu filho ao dermatologista, ok?

Bjs!

Perfil

Dra Silvia Cristina

foto_perfil_pahina_draSilvia

Sou paulistana de nascimento, mas mineira por adoção e coração. Em BH, eu estudei, me formei, me apaixonei, casei e me tornei mãe de dois (lindooos!) príncipes. Assim como muitas mulheres, eu me desdobro para trabalhar, cuidar das crias (do cachorro também, oras!), cozinhar (mentirinha! quer dizer, só faço bolos ahaha!), malhar, namorar, e, agora, blogar!

Sou médica Dermatologista com muito orgulho. Tenho Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, da qual sou membro titular. Pós- graduada em Laser e Cirurgia pela Cleveland Clinic Foudation – OHIO EUA. Membro da Academia Americana de Dermatologia.

faça sua busca aqui

banner_keepCalm

arquivos

curta e
compartilhe

img_cosmeticos
img_dicasBeaute2
logo_sociedadeMineiradeDermatologia logo_sociedadeBrasileiraDeDermatologia

Entre em contato!

(31) 3241-4556 ou 2512-0956
Rua Padre Marinho, 49 salas 805 e 806
Santa Efigênia . Bh . MG / CEP: 30140-040
contato@drasilviacristina.com.br

política do blog

A informação médica via internet pode complementar, mas nunca substituir a relação pessoal entre o médico e o paciente. A internet pode ser uma ferramenta útil, veiculando informações e orientações de saúde genéricas, de caráter educativo, abordando a prevenção de doenças, promoção de hábitos saudáveis de vida, bem-estar, cuidados pessoais, nutrição, higiene, qualidade de vida, […]

Continue lendo